Mundo RPG

O Lar do Rpgista Brasileiro
 
InícioInício  PortalPortal  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Prólogo - Metraton (Bones)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Arvedui
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1799
Idade : 104
Localização : Mundo da Lua
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Prólogo - Metraton (Bones)   Dom Ago 24, 2014 5:37 pm

Os olhos amarelos do demônio encaravam o paladino com um certo temor. Aquela armadura brilhante, aquelas asas de um desenho estranho e nunca antes visto: havia dúvida no rosto do demônio. Ele sabia que estava enfrentando algo diferente de tudo o que já enfrentara. Contudo, nem mesmo a presença forte e destemida de Metraton, nem mesmo o brilho ameaçador da espada exterminadora do mal arrefeceram a maldade daquele demônio. As asas grotescas, semelhantes às de um morcego, se agitavam ao vento cortante da noite. Felizmente os aldeões já haviam evacuado suas casas, fugindo para o abrigo das montanhas que assomavam à direita do paladino.

Agora era apenas demônio contra celestial. Algumas casas às costas de Metraton queimavam, trazendo-lhe o calor benfazejo do fogo nessa noite fria. A luta já se estendia por alguns minutos, e o adversário se mostrara mais difícil do que imaginara a princípio. Era ágil, demasiado forte e, principalmente, não tinha medo. Movia-se com fluidez, desviava dos golpes da evilslayer com graça e agilidade. Mostrou-se, por fim, um adversário à altura, o que, certamente, dava prazer ao paladino. Não era sempre que um ser daquela magnitude irrompia das trevas para dizimar um local tão pequeno e insignificante quanto aquela vila. Era até estranho aquele ser ter surgido ali. Mas Metraton fora chamado no dia anterior e não recusara ajuda. De imediato transportara-se para a localidade, determinou a evacuação da aldeia e aguardou até que o adversário se mostrasse, atraindo-o para si.

A princípio, sondando os habitantes, o demônio parecia estar buscando algo na vila, embora ninguém soubesse precisar o que. De toda forma, isso não importava no momento. Havia uma boa luta em andamento, uma luta equilibrada, difícil de vencer. E o povo simples da aldeia precisava da ajuda do assim chamado "Arauto de Deus".

O demônio aprumou o corpo para preparar um bote. Metraton já observara-o fazer aquilo em um ataque anterior. Mover-se-ia com velocidade incrível, mudando de posição próximo ao ponto de ataque, para tentar surpreender o paladino. Quase havia funcionado na primeira vez, mas agora Metraton estava preparado.

- HAHAHA! Você é bom na espada, guerreiro! Mas não tem o que é preciso para me vencer. Mandá-lo-ei em espírito para o local imundo de onde veio. Mande lembranças aos seus companheiros. Diga-lhes que Aramat envia-lhes seus cumprimentoss

Dito isso, moveu-se numa velocidade impressionante, aproximando-se do paladino em alta velocidade, pelo chão.

OFF:

Já começamos tendo ação! Rola 1d20 pra iniciativa, que eu vou rolar o meu aqui. Se tu tirar maior, já pode lançar teu ataque.

Quantidade aleatória (1,20) :
7

________________________________________________
Devagar e sempre...


Última edição por Arvedui em Dom Ago 24, 2014 9:48 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DEATH
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1017
Data de inscrição : 15/11/2010

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Dom Ago 24, 2014 8:47 pm

DEATH efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
17
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DEATH
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1017
Data de inscrição : 15/11/2010

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Dom Ago 24, 2014 9:25 pm

Na mente de Metraton, alguns pedidos eram constantemente sussurados, alguns absurdos como pedir para ficar mais rico ou que alguem morresse devido a uma discução causada pela bebida, o tipo de pedidos que preferia jamais ter ouvido devido a natureza futil dos pedidos. Entretanto, um deles lhe chamou a atenção mais claro do que os outros, alguem realmente precisava de sua intervenção pois algo estava em desequilibrio.

Era uma pequena vida, proxima a uma cadeia de montanhas, o tipico lugar que diziam ser "esquecido por Deus" devido a sua vida humilde e pacata. Mas ele era a prova de que isso não era verdade e foi a seu encontro, buscar a origem de um pedido de ajuda tão forte assim em um lugar que nada tinha que pudesse interessar a qualquer entidade maligna, ou assim pensou inicialmente.

- As vezes são em lugares hermos assim que o mal tenta prosperar ou buscar por preciosidades... Devo-me-ei estar em alerta, algo surdino se encontra neste local.

Buscou informações e ficou atento aos sinais daquele que ameaçava os pobres inocentes, percebendo discretamente que se tratava de um demônio, algo que poderia colocar em risco os habitantes caso fosse descuidado. No dia seguinte de sua chegada, buscou aqueles os quais não haviam sinais de maculas e orientou que procurassem abrigo na montanha, pois temia pela vida deles, mas não deveriam criar alarde, pois ele iria orientar um a um que fizesse isso e garantir que o demônio não escapasse.

Restaram poucos e ja estava começando a anoitecer. Fez uma breve oração:

- Senhor, permita que possa livrar este humilde vilarejo das forças malignas que os aflinge e que se for para alguem ser ferido, que seja eu, Senhor, poupe-os.

Levantou sua espada com as duas mãos e então deixou que sua aura brilhasse com força, trazendo um pequeno clarão que podia ser facilmente visto da montanha pelos refugiados. Estava desafiando o demônio a sair de onde se escondia, dizendo suas palavras de ordem "Apparent daemonium!", forçando-o a se mostrar. Os ultimos habitantes então conseguiram escapar, com o paladino dando-os cobertura.

Um combate teve inicio na pacata vila, espalhando algumas chamar por telhados secos das casas, destruindo o que famílias lutavam para manter em pé. Seu adversário era bom, bom ate de mais para os padrões de uma simples vila, algo mais estava realmente acontecendo. Mas seu adversário não dava tempo para pensar sobre, pois seu foco se mantinha em sua luta, uma luta digna digasse de passagem, pois Metraton estava tendo trabalho contra ele, pois também usava suas asas horrendas para tentar neutralizar sua vantagem e atacar de forma semelhante que ele próprio.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Arvedui
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1799
Idade : 104
Localização : Mundo da Lua
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Seg Ago 25, 2014 7:17 am

O demônio atacava apenas com suas mãos e garras, ao menos foram assim desde que a luta começara. Alguns detinham armas, ou poderes "mágicos", mas não era o caso daquele especificamente. Apenas agilidade e uma força que Metraton sentia ser brutal. Um movimento em falso e poderia estar morto caso recebesse um golpe daquele inimigo. Contudo, ao invés de temê-lo, o paladino só sentia-se mais disposto ao combate: era a chance de livrar o mundo de mais um grande mal.

O demônio, conforme Metraton previra, faz o mesmo movimento: aproxima-se rapidamente pela frente e muda de direção, tentando atacar o paladino pelo lado, pouco antes de entrar em seu raio de ação, mas o faz de forma tão veloz que os olhos quase não acompanham. O demônio arruma o corpo para um salto seguido de uma cotovelada na cabeça do paladino.

Arvedui efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
1

+ 22

________________________________________________
Devagar e sempre...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DEATH
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1017
Data de inscrição : 15/11/2010

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Seg Ago 25, 2014 8:36 am

A ferocidade com que seu adversário aplicava seus ataques parecia aumentar conforme a luta progredia, algo que deixava Metraton apreensivo e sabia que se continuasse assim, logo poderia não ter como enfrentar tal criatura. Teria que ser mais rápido em sua batalha, aproveitar as oportunidades e, caso elas não surjam, cria-las ele mesmo, nem que tivesse que deixar-se ser golpeado propositalmente, um ultimo recurso que preferia evitar, pois sentia que seu destino ia muito além do que aquela vila.

Ao perceber que a criatura iria usar o mesmo padrão de ataque, o paladino ergueu seu escudo de chamas celestiais, permitindo segurar os golpes de seu adversario enquanto que possuia vantagem de ferir seu agressor devido a seus ataques corporais. O demônio era veloz, difícil de ser acompanhado, precisava prestar atenção em cada tensão muscular dele para tentar antecipar o golpe, pois sabia o quão baixos demônios eram e poderia esperar qualquer coisa dele.

Segura firme o cabo de sua espada sagrada, pretendia dar fim ao demônio nessa investida. Mal tem tempo de erguer seu escudo acima de sua cabeça para aparar o golpe e inclinar a cabeça na direção oposta, e ja estica o braço com a arma firme como uma lança, buscando transpassar o corpo de seu adversário com um golpe de ponta, usando sua própria velocidade contra ele mesmo.
Teste de defesa
Armadura 14 + 5 do talento + Seu bonus de defesa das chamas (he 3)
DEATH efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
13

Teste de Ataque
Carisma 18
DEATH efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
16

Teste de Habilidade Vorpal (caso seja aplicavel)
Habilidade 10 + 5 do talento
DEATH efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
1
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Arvedui
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1799
Idade : 104
Localização : Mundo da Lua
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Ter Ago 26, 2014 3:18 pm

OFF:

Conforme a gente combinou, o talento dá +1 por nível, então no teu teste de defesa, vai com Armadura 15 (já com bônus) + 13 do dado, total 28. Então tu defendeu bem o ataque, e ainda causou 3 PVs de dano por fogo.

Teu ataque deu 16 + 19 (carisma +1).

Agora eu vou rolar a esquiva do demônio:

Arvedui efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
18

+ 25

________________________________________________
Devagar e sempre...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Arvedui
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1799
Idade : 104
Localização : Mundo da Lua
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Ter Ago 26, 2014 3:25 pm

O demônio, de fato, era ágil. Fez uma careta de asco ao sentir o fogo divino lambendo sua pele quando o paladino ergueu o escudo, mas, com uma agilidade impressionante, afasta o corpo para o lado, a espada do paladino raspando em suas costelas, mas não lhe toca. O demônio sorri malignamente, buscando ler nos olhos do paladino algum sinal de desespero.

Aproveitando que se encontrava próximo ao paladino agora, o demônio tenta um soco em seu estômago, pouco se importando a armadura brilhante que o paladino usava.

Arvedui efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
14

+22

________________________________________________
Devagar e sempre...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DEATH
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1017
Data de inscrição : 15/11/2010

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Ter Ago 26, 2014 7:25 pm

Talvez se o demônio sobrevivesse tempo maior do que aquele combate, se arrependeria de ter tentado ficar os olhos de Metraton, pois tudo o que encontrou foi um capuz cobrindo um vazio negro em vez de sua cabeça e olhos, uma visão assustadora que muitos evitavam olhar diretamente pelo medo sobrenatural que tal visão os causava, mas ali, contra ele, parecia que Metraton é que estava intimidando o demônio em vez de ser intimidado ou com medo de algo.

Seu golpe passou perto, perto de mais do demônio que usando de sua agilidade superior esquivou negando o gosto de sua carne para a espada sagrada, embora seu escudo flamejante tenha funcionado como deveria, levantando aquele cheiro fétido de carne infernal queimada.

Sem que houvesse tempo, o ser abissal tenta uma nova investida, tentando golpea-lo com um soco na parte inferior do tronco. Nesse instante, Metraton deixa de tocar o solo com seus pés levemente encolhendo as pernas, planando acima do solo poucos centimetros, tentando assim tirar sua resistência contra o solo e aplacar a fúria do golpe do infernal, mesmo que com isso fosse empurrado um pouco para tras.
TESTE DE DEFESA
Armadura 14 +1 talento (+algo se tiver bonus pela manobra)
DEATH efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
6
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DEATH
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1017
Data de inscrição : 15/11/2010

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Ter Ago 26, 2014 7:34 pm

TESTE DE ATAQUE DE OPORTUNIDADE
Habilidade 10 +1 talento
DEATH efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
18
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DEATH
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1017
Data de inscrição : 15/11/2010

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Ter Ago 26, 2014 7:46 pm

O ataque foi mais forte do que o esperado, mas não o suficiente para derrotar o enviado de Deus ainda, pois esperava que aquele tipo de coisa viesse a acontecer e seria necessária de acordo com o próprio estilo de luta de Metraton, que envolvia auto-sacrificio em prol de espurgar o mal.

-Me torne sua ira, Senhor!

Com um pensamento inabalavel mesmo após aquele golpe, quando lançado para traz, Metraton usa suas pernas que ja estavam encolhidas para ganhar impulso no terreno, se atirando para a frente, voando para tentar golpear num ataque lateral, na altura da cintura do demônio, buscando dividi-lo em duas partes mais inuteis do que ele ja era.
TESTE DE ATAQUE
Car 18 + 1 talento (+ bonus voando? vou deslocar e passar dele alguns metros)
DEATH efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
13

Teste de carisma para intimidar
DEATH efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
8
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Arvedui
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1799
Idade : 104
Localização : Mundo da Lua
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Ter Ago 26, 2014 9:31 pm

Esquiva do demônio

Arvedui efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
6

Teste de inteligência para evitar intimidação

Arvedui efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
6

________________________________________________
Devagar e sempre...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Arvedui
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1799
Idade : 104
Localização : Mundo da Lua
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Ter Ago 26, 2014 9:45 pm

Metraton tentou sem sucesso intimidar o oponente, que apenas sorriu ao observar o que o celestial tentava fazer. Barrou palavras de blasfêmia contra o poder do Deus de Metraton, que não conseguia sequer amedrontá-lo.

O Demônio exultou quando seu golpe atingiu o estômago do paladino com um baque surdo. Metraton voou longe, tanto pela força do golpe, quanto pela sua própria estratégia de liberar o peso do corpo. Seu adversário, contudo, não percebendo nada dos planos do paladino, sorriu satisfeito ao ver seu golpe acertar o oponente. Contudo, sentiu ele próprio uma dor aguda em seu estômago e ficou sem entender o porquê daquilo. 

Foi quando o paladino desceu rasgando os céus em seu voo de julgamento e morte. Ainda surpreso com o dano que recebeu ao golpear o paladino, não consegue executar bem a sua esquiva, de nada valendo sua agilidade bastante superior à do adversário. A evilslayer corta carne, órgãos e ossos, passando fácil pelo meio do demônio. Como uma faca quente cortando um pedaço de queijo. 

O infernal só teve tempo de olhar para o paladino, seus olhos amarelos arregalados de surpresa e dor. Seu tronco caiu para trás, levado pela brisa das asas do paladino, enquanto suas pernas ficaram paradas no lugar, equilibrando-se morbidamente no solo, até que foram ao chão levantando poeira. O demônio ainda vivia quando atingiu o chão e, surpreendentemente, sorria.

- Isso não terminará assim, paladino. Hoje você viu sua morte perto de você, mas isso foi apenas o começo. Eu vejo seu futuro, e ele será negro como as nuvens que cobrirão o céu no final desse dia. 

________________________________________________
Devagar e sempre...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DEATH
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1017
Data de inscrição : 15/11/2010

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Ter Ago 26, 2014 11:22 pm

Aquela tatica arriscada rendeu frutos gloriosos frente as forças abissais, pois seu ataque foi devastador e insperado para o demônio que nada pode fazer frente a seu nêmesis celestial. Um golpe fatal e certeiro, pondo fim ao confronto físico, mas não verbal, pois mesmo caido a criatura tenta em vão de alguma forma tirar-lhe de seu centro ou mesmo plantar algum temor. Parado ao lado do tronco caído do ser, sentindo as dores do golpe recebido, segura a espada invertida na direção dele com ambas as mãos e lâmina voltada para baixo.


Citação :
- Isso não terminará assim, paladino. Hoje você viu sua morte perto de você, mas isso foi apenas o começo. Eu vejo seu futuro, e ele será negro como as nuvens que cobrirão o céu no final desse dia.


- Se estes dias chegarem, criatura abissal, nada ei de temer, pois Meu Senhor iluminará meu caminho e Sua vontade realizar-se-a. Seu senhor, Aramat, o abandonou, mas em breve os reunirei. Eis vossa chance de dizer o que buscava em solo tão humilde e em troca lhe darei um fim misericordioso...

Metraton aproximou a ponta da espada da cabeça do demônio, sem encosta-la, numa postura firme como um carrasco pronto a executar seu prisioneiro, apenas aguardando a confirmação de que seriam proferidas mais blasfemias e mentiras, mas mesmo assim aguardou, pois ate mesmo as mais vis criaturas deveriam presenciar a grandeza e benevolência de seu Deus.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Arvedui
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1799
Idade : 104
Localização : Mundo da Lua
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Qui Ago 28, 2014 5:11 pm

O demônio até tentou falar mais impropérios, mas não conseguiu. Pareceu ter entrado em choque, seu tronco tremeu, o fluxo constante que escorria de suas entranhas expostas rapidamente fez com que todo o sangue de seu corpo se esvaísse. Morreu ali, com aqueles olhos amarelos vidrados para seu algoz, um misto de ódio e temor, difícil de descrever.

Agora Metraton estava só, ferido. A vila fora evacuada mais cedo, as pessoas estavam há alguns quilômetros dali. Já era madrugada, começo de mais um dia, mas a aurora tardaria ainda algumas horas para apontar no céu. Se as palavras do demônio fossem verdadeiras, ao final daquele dia nuvens negras cobririam o céu. Difícil imaginar que uma criatura tão vil possuísse alguma verdade em suas palavras, mas sempre era preocupante saber que demônios faziam planos para mais malignidades.

Vagarosamente o corpo morto transformou-se em cinzas e, minutos depois, havia apenas um pequeno monte de pó aonde antes estivera o demônio. O vento encarregou-se de levar tudo para os céus, dissipando assim a maldade que horas antes conspurcara aquelas terras. Tudo estava limpo agora, mas o preço não fora barato. Metraton ainda sentia um pouco de dor pelo corpo, fruto do primeiro ataque do demônio.

Foi quando o barulho de passos lhe chegou aos ouvidos. Olhando atrás de si, viu um dos aldeões, um jovem imberbe, aparentemente muito amedrontado.

- Fui enviado pelo líder da aldeia, para ver se ainda estava havendo combate... - deu uma rápida olhada ao redor, sua voz falhando quando tentou falar novamente, provavelmente pelo medo que sentia - Ele já se foi?

________________________________________________
Devagar e sempre...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DEATH
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1017
Data de inscrição : 15/11/2010

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Sex Ago 29, 2014 6:06 pm

A criatura abissal encontrou seu fim no chão da pataca vila sem dar nenhuma nova informação, se tornando pó antes de revelar aquela pergunta crucial sobre a que propósito havia levado-o ali, deixando Metraton intrigado sobre o assunto.

Este, por sinal, mesmo tendo sido vitorioso em seu combate, sentia as dores do golpe, que lhe lembravam o quanto ainda era inexperiente e deveria se esforçar mais em seus treinamentos, pois um golpe poderia ser decisivo e ter invertido o resultado do confronto.

- Senhor, obrigado pela oportunidade que me foi concedida para continuar com a missão. Agradeço por ter tido forças suficientes para expurgar o mal sem que ninguém mais além de seu servo ter sido injuriado. Permita que suas chamas possam reparar o dano causado e assim continuar em meu caminho...

Em silêncio, realizou uma prece enquanto deixava suas chamas percorrerem seu corpo, nos locais agredidos, curando-se. Não reparou se havia passado muito tempo, pois ficou meditando sobre os fatos e temendo que o infernal, mesmo conhecido por suas falsas verdades, poderia ter dado uma pista importante sobre o que estava por vir.

Quando se deu conta, percebeu que estava se aproximando alguém. Era um enviado do líder da vila, amedrontado, questionando a respeito do embate. Mesmo exalando medo, havia tido suficiente coragem em se aproximar, um ato que merecia respeito visto que tipo de gente humilde vivia ali.

- Não tema pois seu algoz encontrou o fim. Avisai a todos que seu retorno está garantido pois o mal ja não mais existe nessas terras.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Arvedui
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1799
Idade : 104
Localização : Mundo da Lua
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Sab Ago 30, 2014 7:27 am

Enquanto o paladino orava ao seu deus, a aurora vagarosamente irrompeu, com um sol amarelo e vivo surgindo adiante no horizonte. A quentura dos raios solares, mesmo os primeiros, afastava o frio e os temores da madrugada de luta e terror. Metraton, apesar dos ferimentos - que certamente demandariam algum cuidado -, sentia-se bem. Havia vencido uma batalha crucial, contra um inimigo que aparentava ser forte e influente nos círculos infernais. Se fosse o caso, certamente seria caçado dali para frente, mas estaria preparado.

A prece afasta a incerteza e novamente preenche o coração do paladino com serenidade e força. Durante muito tempo as chamas pareciam consumir o corpo do celestial. Mas quando encerrou sua prece, seus ferimentos estavam curados, seu corpo vicejava novamente, seus músculos explodiam em força, prontos para mais uma batalha. Contudo, apareceu o garoto, amedrontado com o que havia visto. O povo daquela aldeia havia vivenciado momentos de terror nas últimas horas.

- Obrigado, senhor! Não gostaria de se encontrar com o líder da vila? Ele pode curar algum ferimento que o senhor tenha. - não sabia o garoto que o paladino já se havia curado - Ou oferecer-lhe provisões para a viagem. Ou qualquer tipo de ajuda que possamos dar, já que não temos forma melhor de agradecer... - o garoto parecia envergonhado, certamente imaginando que um guerreiro poderoso cobraria rios de dinheiro pelo serviço prestado. Mas também admirava-se sinceramente pela força e pelo porte de Metraton.

Apontou vagamente para as montanhas, não muito distantes dali.

Nosso abrigo não é longe. Seria uma honra receber um grande guerreiro por lá, caso o senhor precise de descanso.

________________________________________________
Devagar e sempre...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DEATH
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1017
Data de inscrição : 15/11/2010

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Dom Ago 31, 2014 12:16 am

Nada como o raiar do dia para tirar duvidas e incertezas dos corações, inclusive do próprio Metraton, pois por mais escura que fosse qualquer noite, não resiste aos primeiros raios de sol de uma nova manhã. Sentiu-se agraciado em ver que seu deus não o abandonou e lhe concedeu um novo fôlego para os desafios seguintes.


Citação :
- Obrigado, senhor! Não gostaria de se encontrar com o líder da vila? Ele pode curar algum ferimento que o senhor tenha. Ou oferecer-lhe provisões para a viagem. Ou qualquer tipo de ajuda que possamos dar, já que não temos forma melhor de agradecer...Nosso abrigo não é longe. Seria uma honra receber um grande guerreiro por lá, caso o senhor precise de descanso.


- Não há necessidade de se afilngir sobre meu estado, pois meu deus ja me rejuveneceu. Minha maior recompensa fica a cargo de vossa segurança e bem estar. Ficarei honrado em acompanhar-lhe e comunicar vosso lider.

Metraton falou de forma calma, num tom agradavel e nobre, sem mostrar sinais de arrogância ou superioridade, ao contrário, parecia ele quem prestava respeito com o outro, até mesmo em seu gesto, ao final de sua frase, colocando a mão direita no peito e fazendo uma reverência, em sinal de respeito pelo sofrimento e temor que eles haviam passado, mostrando estar pronto para acompanha-lo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Arvedui
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1799
Idade : 104
Localização : Mundo da Lua
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Seg Set 01, 2014 4:30 pm

O garoto ficou radiante ao ouvir as palavras do paladino, tanto por temer o caminho de volta para o abrigo, quanto por saber que o líder apreciaria demasiado trocar algumas palavras com o salvador da aldeia. O velho parecera entender que tipo de situação estavam enfrentando desde o início, de modo que deixara bastante claro o desejo de trocar algumas palavras com seu salvador.

Desse modo, o garoto retribuiu o cumprimento de Metraton e ambos seguiram rumo ao abrigo nas montanhas. Caminharam durante três quartos de hora, pois o garoto tinha pressa. O local em si não era distante, um voo de menos de cinco minutos teria levado o paladino até lá. Contudo, foi também uma oportunidade para Metraton observar o ambiente em que estava. Uma vez que fora teleportado para aquele local e, de imediato, havia iniciado sua batalha, ainda não tivera tempo de observar a aldeia e seus arredores: era um lugarejo pobre, numa região aparentemente inóspita e abandonada, mas havia algo ali, algo que Metraton não sabia precisar ao certo, que dava uma aura poderosa àquela região.

Talvez fossem as montanhas, já que quando teve tempo de observá-las, Metraton sentiu um misto de assombro e deferência, contudo ainda não soube precisar. Rapidamente chegaram ao local, onde o paladino pode observar todo o aparato de um lar improvisado. Não havia muitos moradores na aldeia, não mais que uma centena e meia, por alto. Todos olharam com admiração para o imponente paladino que adentrava seu humilde lar. Todos, de alguma forma, seja com um gesto, um sorriso, um toque na armadura brilhante, ou uma oração silenciosa - que, ainda sim, era ouvida pelo paladino -, todos os agradeciam sinceramente.

Atrás de todos se postava um velho, muito mais velho que quaisquer outros habitantes. Tinha olhos vivazes e uma expressão sábia. Sua voz soou como trovão naquela caverna repleta de eco:

- Salve, servo de Deus! Agradeço-lhe pelo auxílio prestado em nosso momento de fragilidade. Sei que alguém que combata as trevas nunca possui tempo para ser desperdiçado, razão pela qual agradeço-lhe também por ter vindo até nós. Há algo que possamos fazer para auxiliá-lo em sua lida contra as forças do mal?

________________________________________________
Devagar e sempre...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DEATH
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1017
Data de inscrição : 15/11/2010

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Qua Set 03, 2014 2:30 pm

Um lugar humilde, poderia ser descrito por um observador mundano, contudo para Metraton, havia algo de diferente naquele lugar, provavelmente o mesmo algo que aquela criatura abissal buscara sem sucesso. As montanhas por si só pareciam imponentes e guardar algum segredo, contudo apenas conjecturas não seriam suficientes e talvez nem fossem necessarias, uma vez que o mal daquele lugar parecia ter sido extirpado.

Ao adentrar na caverna, Metraton manteve uma postura austera, como um nobre ou rei, para quem sabe servir de inspiração para muitos ali, mas da mesma forma humilde, retribuindo com balancares de cabeça e gestos, mostrando que sua verdadeira nobreza estava mais em seus atos do que em sua postura.


Citação :
- Salve, servo de Deus! Agradeço-lhe pelo auxílio prestado em nosso momento de fragilidade. Sei que alguém que combata as trevas nunca possui tempo para ser desperdiçado, razão pela qual agradeço-lhe também por ter vindo até nós. Há algo que possamos fazer para auxiliá-lo em sua lida contra as forças do mal?


Quando se aproximou do ancião, Metraton fez uma breve reverencia, inclinando levemente o corpo e cabeça para baixo, com sua mão direita erguida no peito.

- Que seja feita Vossa vontade. O mal que vos perseguiam fora exterminado, ja podeis retornar para vossos lares. Não há com o que preocupar-se, pois de nosso Senhor tenho tudo o que preciso. Entretanto, ainda paira sobre o assunto de minha estatia um grande questionamento sobre sua verdadeira natureza, pois há motivo maior para um ser como aquele vir em uma vila humilde? O que verdadeiramente essas terras escondem que despertaram tamanha atenção?

[off: enquanto ele ta caminhando pra falar com o ancião, tem como usar discretamente a magia Sentir Maldade ? vou fazer o roll, qlqr coisa se nao puder, basta desconsiderar o dado...]

ROLL MAGIA
Sentir Maldade: Consegue perceber se um indivíduo está mentindo ou com má intenção.. .
Int 13
DEATH efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
15
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Arvedui
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1799
Idade : 104
Localização : Mundo da Lua
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Sab Set 06, 2014 7:28 am

Ao ouvirem a forte voz do paladino todos os aldeões piscaram maravilhados. Sentiram-se, de imediato, invadidos pela paz, coragem e serenidade que emana de um servo de Deus. O medo foi extirpado de seus corações e todos, sem exceção, sentiram-se confiantes para voltar as suas casas. E foi  o que aconteceu: liderados por alguém, recolheram as miúdas posses que haviam levado para a caverna e, silenciosa e rapidamente, deixaram o lugar, numa sincronia e organização militares.

O velho líder apenas se pôs a observar, enquanto todos deixavam o abrigo. Manteve-se calado o tempo inteiro, olhando para um ou para outro. Quando todos saíram, o ancião pôs-se de pé. Era mais alto do que o paladino imaginara a princípio, já que, embora curvado pela idade, ainda podia olhar Metraton nos olhos sem precisar elevar a cabeça.

- Ao olhar para esses jovens, corajosos e incautos, lembro-me de minha juventude. Tanta coisa passei, mas não trocaria a força e o vigor da juventude que tive pela sabedoria que a velhice me trouxe. - nesse momento, encarou o paladino com os olhos negros argutos. Eram olhos jovens, vivos e significativos, apesar da idade do homem - - Não há maldade aqui, mestre paladino. Apenas aquela que cada coração traz consigo. - de algum modo, o ancião percebera a tentativa do paladino de sondar a todos.

Metraton não conseguira, de fato, sentir maldade em nenhum dos aldeões, ou no velho. Não porque não houvesse, mas porque, aparentemente, algo atrapalhava sua sensibilidade. Era como se, ao tentar perscrutar corações e mentes em busca de maldade, sua própria mente ficasse envolta em confusão, de modo que não conseguia distinguir o que sentia. Uma sensação bastante desconfortável, diga-se.

- É normal. - disse o velho, como que adivinhando os pensamentos de Metraton - Quando se chega tão próximo das montanhas, a mente se confunde. Há poder aqui, mas um poder que até eu desconheço.

O velho observou por alguns instantes enquanto seu povo caminhava lento pelas terras montanhosas, rumo à aldeia escondida lá embaixo.

- Creio que há perguntas que lhe afligem, meu nobre paladino. Posso vê-las em seu rosto. Estou à disposição para lhe oferecer as respostas que meu conhecimento puder alcançar.

________________________________________________
Devagar e sempre...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DEATH
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1017
Data de inscrição : 15/11/2010

MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   Seg Set 08, 2014 12:04 pm

Talvez fosse um reflexo indesejado do conflito ou mesmo a presença do abissal, ou até mesmo alguma influência daquela montanha ou poder que dela emanava, mas independente da origem, ficar as cegas não era algo que deixava Metraton desconfortável e desconfiado, pois caso realmente não houvesse nada significativo, não haveria razão para incomodo.

Ouviu as primeiras palavras do ancião e se pôs a pensar em silêncio, observando a marcha dos sobreviventes, tentando imaginar quantas vezes ele próprio já não tinha presenciado tal cena. Deixou com que partissem antes de voltar a falar com ele.

- Perdoa-me ancião, não pretendia ser rude, pois minha missão é protege-los e garantir que o mal foi extirpado de vosso lar e nosso inimigo é dotado de táticas sorrateiras. Contudo ei de concordar com vossa afirmação, pois diante de tal monumento natural, fico a me indagar sobre a razão pela qual nutre um desconforto. Dizes-tes que há aqui um poder desconhecido, talvez a verdadeira razão pela qual fui enviado. Ficar-lhe-ei em debito caso possa iluminar o assunto, sobre suas histórias e importâncias no que diz respeito a esta montanha.


TESTE DA MAGIA
DEATH efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
4

[off: se puder, vou tentar lançar a magia dnovo... Eu sei q tem uma dungeon debaixo dessas pedras xD hehehe]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Prólogo - Metraton (Bones)   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Prólogo - Metraton (Bones)
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Site com o catálogo Scott 2009
» Catálogo Yvert
» [TUTORIAL] Mensagem aparecer no inicio do jogo e logo apos desaparecer...
» CATÁLOGO DE SELOS BRASILEIROS - RHM 2016
» mazoquecara adm - bones bolado parte 2

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Mundo RPG :: Fantasia Medieval-
Ir para: