Mundo RPG

O Lar do Rpgista Brasileiro
 
InícioInício  PortalPortal  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Salão Prateado - Todos

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Goran Pandev
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 973
Idade : 31
Data de inscrição : 23/07/2008

MensagemAssunto: Salão Prateado - Todos   Sex Out 04, 2013 10:39 am

Bellen.

A capital militar do reino. O rei, Durandil, já está com os seus 50 anos de idade, e durante o seu reinado, a paz reinou. Não houve guerras, rebeliões, revoltas. O povo vivia feliz e tranquilo, não tinham do que reclamar. O reino prosperou, todos conseguiam comprar aquilo que desejavam. Porém, seu filho, Austin, nunca abandonou o exército e a marinha, pois sempre defendeu a idéia de que um grande reino deva ter uma força de defesa a altura do seu rei.

E por anos os dois discutiam a respeito, sempre o rei defendendo a idéia de que o mais importante seria a prosperidade e felicidade do povo, porém seu filho sempre conseguia angariar fundos para realizar o treinamento de algumas tropas e posicioná-las em pontos estratégicos. Ele mesmo lidera a maior cavalaria do reino, sendo um exímio cavaleiro.

Hoje o reino não possui nem um terço do exército que possuía na última grande guerra. No máximo contam com 50 mil soldados e, essa quantidade, numa guerra não é suficiente para defender o reino. Mas é o que possuem e o que devem treinar.

Anos se passaram e muitos rumores e boatos começaram a surgir nas vielas e tavernas da cidade. Dizem que a cidade de Hazi se reergueu e está com um poderoso exército e que seu rei mudou e que o novo tem planos para expandir seus domínios. Além dos boatos, muitos incidentes tem acontecido em todo reino, porém esses não chegam aos ouvidos do povo, pois o exército abafa o caso ficando apenas nas altas cúpulas.

Coincidência, ou não, os quatro generais do exército foram convocados pelo príncipe herdeiro, para uma reunião no salão prateado juntamente com o rei, afim de discutirem alguns assuntos importantíssimos do reino.

O dia da reunião chegou e todos estão na cidade, vierem apenas com uma pequena comitiva de 50 cavaleiros cada, deixando suas tropas posicionadas nos locais de costume.

Todos estavam sentado em volta da mesa, tinham em suas mãos um comunicado cada um, e liam calmamente:

"Meu rei,

A cidade de Hazi mudou completamente. Ela está com muros negros, seu povo não demonstra alegria, vivem com o rosto abaixado, parece que perderam a vontade de viver, apenas trabalham e voltam para suas casas.

As tropas são imensas e treinam diariamente. Estão com um preparo físico de invejar. Não cansam, não comem nem se hidratam. Viajam durante três dias sem cessar. Eles não são normais.

O antigo rei, Tisigalko, foi assassinado e hoje quem está no trono é Bastian, um guerreiro forte e cruel, pele pálida, olhos profundos, cabelos negros feito a noite. Sua tropa real são de guerreiros astutos, rápidos e eficazes. São letais.

Fumaça negra e branca saem das chaminés do castelo, porém não consegui descobri do que se trata. A defesa do castelo é muito bem feita. Não encontrei nenhuma passagem secreta. Disseram que um ladino, que hoje mora escondido nas montanhas vermelha conseguiu fugir do calabouço, mas não o encontrei.

As tropas de Bastian se aproximam de nossas fronteiras a cada dia. Eles irão atacar nossas cidades a beira do rio, e pela força de suas tropas, não sei se conseguiremos defendê-las sem a presença do nosso exército.

Está cada dia mais difícil permanecer nesse reino. Eles desconfiam de tudo e todos.

Creio que será a última carta que enviarei, pois tentarei me infiltrar no exército inimigo e descobrir novas informações.

Espero que tenha ajudado"


O rei deixa que terminem de ler a carta e diz, com a voz firme e rouca:

- Senhores, é chegada a hora de reunirmos nosso exército e defendermos nossa fronteira.
Eles não irão nos surpreender.
Já tenho um plano em mente, porém quero ouvir a opinião de todos antes de informar a minha.
Mas antes devo pedir para vocês dois..
olha para Aurélios e Ceres...deixem a desavença de lado e trabalhem juntos. Ceres tem um estilo de comando e toda a sua tropa o vangloria.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Heidi Cavalieri
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1178
Idade : 27
Data de inscrição : 15/07/2008

MensagemAssunto: Re: Salão Prateado - Todos   Ter Out 08, 2013 8:16 pm

O semblante de Iasmin muda completamente ao término da carta. Fica por alguns instantes lendo e re-lendo, tentando captar todos os detalhes, todas as informações que pudesse. Sua mente fica vagando, pensando o que poderiam fazer de imediato, antecipar os passos.

Enquanto sua mente vaga, o rei se pronuncia após todos lerem a carta, e vêm a tona a velha rixa entre Ceres e Aurélios, ela apenas passa os olhos por um momento por eles, e volta-se a carta, aguardando alguma reação dos outros generais. Visto que não a sala ficou em um silêncio praticamente mórbido, levanta-se, faz reverência ao rei e cumprimenta a todos com um aceno de cabeça.

- Primeiramente, boa noite a todos. Faz tempo que não nos reunimos, assim como nosso rei, espero que nenhum problema venha nos impedir nesse momento crítico.

Faz uma pausa e passa os olhos novamente pela carta, continuando:

- A princípio, pensei em encontrarmos esse fugitivo que foi citado na carta, com ele em nossas mãos, conseguiremos informações preciosas sobre os guardas, o esquema de segurança dos calabouços, tendo essas informações, podemos tirar por base a organização de suas tropas. Outra coisa que me chamou muito a atenção, foi a parte de que os soldados não descansam. Como assim? É humanamente impossível! Temos que averiguar essa questão também.

No resto, temos que reforçar as fronteiras, não podemos deixar que nos invadam. O primordial seria descobrir algum ponto fraco desse exército, já que são descritos com tamanha eficiência...
-faz outra pausa- às vezes eles usam técnicas para impressionar, sempre existe um ponto fraco.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Kleiner
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1810
Idade : 32
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Salão Prateado - Todos   Ter Out 08, 2013 11:23 pm

Sem olhar na cara de Ceres, Aurélius estava inquieto.
Odiava guerra, apesar de ser sucesso em suas batalhas.
Mesmo contra a vontade o General toma a fala após Iasmin terminar.

- Seria inútil encontrarmos esse Ladino irmã...pense, se o enviado que está lá, que conhece a região e seus atalhos, não o encontrou, será que nós iremos?
- Além do mais, SE o encontrarmos....como passar pelos soldados?


Aurélius se levanta. E começa a andar pelo salão. Passos firmes e lentos enquanto falava.

- A idéia das fronteiras é boa. Mas precisamos de uma aliança, se não conseguirmos impedi-los irão vagar sem oposição para todos os outros reinos.
- Temos de evacuar todas as cidades próximas à fronteira e preparar nossas tropas.


Aurélius para em frente ao rei e o reverencia.
- Minha lealdade pertence ao Rei, e se vossa vontade é o ardor de mais uma guerra, essa será minha vontade.

________________________________________________

WhatsApp 41 9886 1050
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://mundorpg.forumbrasil.net
Ninja
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1150
Idade : 22
Localização : Na frente do Pc
Data de inscrição : 29/11/2010

MensagemAssunto: Re: Salão Prateado - Todos   Sex Out 11, 2013 2:18 am

Apenas 2 coisas martelavam na cabeça de Jack: Maior e mais forte. Maior e mais forte...
Será que nem mesmo a união das 4 forças do exercito daria conta...o que então daria?
Jack mantem-se calado de cabeça abaixada, encostrada nos punhos, refletindo.
O que fazer?
Novamente o Titulo "O Jovem" aparece como algo negativo...ele apenas escuta, sem nada a acrescentar.

-Aliança...sim, uma boa ideia- Diz ele finalmente-Mas com quem? Qual outro pais nos poderemos contar para avolumar nossos exercitos?-para um pouco e continua-Tambem concordo com a ideia da fronteira. Porem, nosso exercito, hoje, está tão escasso que mingúa-lo e pequenas partes em fronteiras...creio que não daria muito certo...porem, essa é apenas a minha opnião, sua vontade é acima da minha, meu rei, diga o que acha que deve ser feito, que eu farei.
Para de falar e observa Aurelio e ceres, esperando os dois cairem no supapo.

________________________________________________
Kung Lao, Jogador de Chapelão

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://italicox.blogspot.com.br/
Arvedui
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1799
Idade : 104
Localização : Mundo da Lua
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Salão Prateado - Todos   Ter Out 15, 2013 10:40 am

Ceres adentra o salão com toda a pompa de um general. Seu rosto duro, expressão insana nas faces, como se buscasse algum motivo, por mais fútil que fosse, para derramar sangue. Aquela sua expressão imprimia respeito para os subordinados e temor para os adversários. Poucos ali naquele salão gostavam do general, mas isso não o impedia de conduzir bem suas tropas e garantia a paz com eficiência dentro de seu raio de ação, seja pelo medo, seja pelo respeito.

Após reverenciar o rei, Ceres escuta atentamente. Ao final do discurso do monarca, a advertência do rei para que fosse mantida a polidez no discurso. Ceres sabia estar sendo observado pelos demais, mentalmente criticado e profundamente odiado até, mas nenhum deles podia negar a sua eficiência no comando, a paixão de seus comandados durante a batalha (embora fossem poucas ou quase nenhuma). Atento ao discurso dos demais, o jovem general mantém o silêncio, aguardando sua hora de falar.

- Eu opto pela guerra. Antes que sejamos atacados de surpresa, devemos atacar. Aquele que muito baixa a cabeça, tem sua visão prejudicada. Temos nos mantido atentos e vigilantes, mas apenas vigilância não garante segurança, muito menos contra um exército incansável e bem treinado.

Suas palavras eram duras, mas diretas. Haveria guerra, podia sentí-lo no sangue. E, numa guerra, aquele que primeiro se preparava partia em vantagem. 

- Eis meu conselho, majestade: ordene aos vossos generais que preparem as tropas, fortifiquem as fronteiras e aumentem o efetivo militar o mais rapidamente possível. Nossas tropas são reduzidas e, apesar de serem inquestionavelmente bem treinadas, contra tropas numerosas seremos não mais que rápido passatempo.

________________________________________________
Devagar e sempre...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Goran Pandev
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 973
Idade : 31
Data de inscrição : 23/07/2008

MensagemAssunto: Re: Salão Prateado - Todos   Qui Out 17, 2013 12:12 pm

O clima estava pesado, há muito tempo não se reuniam e na última vez foi apenas para comemorar o aniversário do rei, porém dessa vez é diferente, o motivo da reunião é outro, o destino do reinado está em jogo. E para piorar, todos sabem que numericamente são inferiores, ou seja, vão precisar e muito da estratégia e conhecimento dos locais.

O rei e seu filho escutam todos os generais e ficam contentes que Aurélius e Ceres não tenham se desentendido, enquanto o rei toma um gole de vinho, seu filho, Austin levanta-se e começa a falar friamente:



- Eu me encarrego de proteger nossa fronteira ao norte com minha marinha, estamos preparados para defender nosso reino custe o que custar.

- E espero, que os senhores, olha para todos os generais, façam o mesmo com nossa fronteira ao oeste, justamente por onde nosso inimigo está vindo. Nossas cidades e pontes devem ser defendidas a todo custo.

- Já fiz contato com o povo do leste, mas como vocês sabem o reino deles é longe e vão demorar para chegar até aqui e nos dar assistência, por enquanto, estaremos a sós.

- Cada um ficará responsável por uma das quatro cidades que fazem fronteira, elas serão os alvos dos nossos inimigos, visto que possuem mantimentos, mão de obra e água potável. Defendam a todo custo.

Ao término das palavras do príncipe o rei pede a palavra e com sua voz rouca começa a falar:

- Todos sabemos que somos inferiores militarmente, mas o que não sabem é que durante todo esse tempo, incumbi o nosso mago de realizar um ótimo trabalho, e ele o fez, treinou 5 magos, os quais serão de muita serventia nesse momento.

- O líder deles é Malafire, um poderoso mago do fogo, que é considerado o quinto general do nosso reino, portanto, quero respeito e que trabalhem em conjunto.

- Pode aparecer Malafire.

Ao término das suas palavras o mago aparece na sala, próximo a janela principal, e deu a entender que já estava ali há muito tempo.

E o rei continua:

- Temos quatro cidades para serem defendidas.

- Grosk.
- Hamm.
- Panter.
- Cuervo.

- A cidade de Panter será a primeira a ser atacada, segundo nossos informantes o inimigo chegará nela em 3 dias e a viagem até lá são 5 dias. Acredito que a tropa que chegará mais rápido na cidade é a da Yasmin. Enquanto isso Malafire com seus súditos conseguem chegar prontamente no local.

- Aurélius, Ceres e Jack, decidam para qual cidade cada um irá.

- Quero receber informações diárias a respeito dos combates, vitórias, derrotas, terreno perdido, oportunidades. O restante do exército irei disponibilizar pelo reino, para que fiquem espalhados e possam dar auxílio assim que necessário.

- Que nossas espadas e escudos triunfem nesses combates!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DEATH
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1017
Data de inscrição : 15/11/2010

MensagemAssunto: Re: Salão Prateado - Todos   Qui Out 17, 2013 1:33 pm

Ao ser anunciado pelo rei, Malafire se afasta da janela, adentrando na sala. Era uma figura imponente por si so, estava vestindo um manto escuro com capuz cobrindo seu rosto, seus passos eram firmes, um andar quase sobrenatural, que apenas destacava mais as pequenas fagulhas que saiam de sua respiração.

Encarou por poucos segundos cada general ali na sala, como se olhasse para a alma de cada um e os cumprimentou com um aceno com a cabeça, independente deste ser respondido ou não. Ele se aproximou da mesa, falando em um tom firme antes que alguém mais pudesse dizer algo ou começar uma briga, se dirigindo ao rei.

- Não acho de toda uma tola ideia ir atrás do ladino, meu rei. Melhor do que nós em questões sobre segurança e território inimigo sem duvidas ele deve ser e ja fugiu de la uma vez, ele pode ter em mãos informações valiosas. Se permitir, há alguém que pode ir ate ele e voltar mais rápido do que qualquer cavalo, majestade.

- Vejo aqui quatro "reis" para um único "reino". Reconheço-os pelos boatos que percorrem essas paredes sobre a desunião de vocês e o problema que esta diante de nossos portões... Enquanto não entenderem que vocês quatro são os responsáveis por todo o nosso exercito e não apenas seus pelotões, o inimigo irá se fortalecer ainda mais, pois seremos fracos diante dele. Explorem essa fraqueza, torne ela seu ponto mais forte e sem duvida alguma iremos triunfar como nenhum outro exercito um dia ja marchou sobre essas terras. Não falo apenas para Ceres e Aurelius, mas para todos, pois também são responsáveis pela desunião...


Enquanto falava, o tom se tornou serio, ríspido, em alguns momento chegando a soltar pequenas chamas pela respiração e pela boca em vez de simples fagulhas, como se ele queimasse por dentro. Ao terminar, parou por um instante e abaixou sua cabeça em direção ao rei, em sinal de reverencia.

- Farei como desejar, majestade.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Heidi Cavalieri
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1178
Idade : 27
Data de inscrição : 15/07/2008

MensagemAssunto: Re: Salão Prateado - Todos   Sex Out 18, 2013 1:57 am

Estava inquieta, a situação era muito mais crítica que pensara, tinham que tomar decisões críticas e imediatas, não havendo tempo para brigas, desavença, ou qualquer outro tipo de situação, o futuro do reino, das pessoas que confiam neles, esta em jogo, e isso, mais do que qualquer coisa, deixava a mente de Iasmim inquieta, mesmo assim, prestara atenção em todas as palavras proferidas naquela salão.

Assim que o rei designa sua tarefa, a general fica calada por instantes, aguarda o recém chegado fazer seu discurso e sua apresentação cheia de pompas, respira fundo, esperando que mais alguém se pronunciasse, então, de cabeça baixa por alguns instantes, levanta-se e anda um pouco pelo salão.

- Meu rei, minhas tropas estão prontas para partirem imediatamente, defenderei a todo custo aquela cidade, nenhum inimigo irá nos transpor. - Faz uma pausa, olha para o mago, retribui seu aceno com a cabeça, e continua - Já a você Malafire, seja muito bem vindo, e realmente espero que seus atos contribua para a união dos generais, já que insinua que aqui, nosso ego é tão inflado a ponto de acharmos que somos reis. Peço que tenha cuidado ao escolher suas palavras, elas podem ser mal interpretadas.

Novamente faz uma pausa, olhando para todos da sala, principalmente para Aurelios e Ceres, continuando:

- Alguns de nós temos nossas diferenças, mas o que seria o reino se todas as opiniões fossem iguais? O que temos de diferencial, nenhum outro reino tem, somos como uma família, brigamos, temos pontos divergentes, mas quando surgi algum problema, colocamos tudo de lado, pensamos, agimos e damos nossa vida se for o caso, para proteger esse reino. Meu rei, desculpe pelo desabafo, mas é com esse sentimento que devemos prosseguir, que somos uma família, que todos nesse reino fazem parte dela, e devemos defendê-la.

Se não tem mais instruções majestade, vou preparar a partida de minhas tropas. Meus irmãos, força e foco, vamos mantendo contato.


Dito isso, faz uma reverência ao rei e ao príncipe, caso eles não tenham mais instruções, ela se retira do salão para preparar sua partida.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ninja
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1150
Idade : 22
Localização : Na frente do Pc
Data de inscrição : 29/11/2010

MensagemAssunto: Re: Salão Prateado - Todos   Sex Out 18, 2013 11:50 am

Jack ouve aquele emcapuzado falar com a cabeça apoiada no braço, em sinal de tédio, se ele estava querendo impressionar, estava falhando miseravelmente.
Após Iasmin terminar Jack abafa a risada, gostava daquela tia que em momentos chegou a considerar com o uma irmã mais velha, ela não tinha medo de falar.
Tentando recuperar um pouco a seriedade, Jack diz:
-Para alguem que diz que quer a paz e a união, você não mede muito bem suas palavras para alcançar seu onbjetivo...Enfim, Majestade, vou para Grosk, caso não haja mais instruções, partirei imediatamente.-Olha para Iasmin-Boa sorte com esse cara.-Diz antes de partir, com a permissão do rei.

________________________________________________
Kung Lao, Jogador de Chapelão

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://italicox.blogspot.com.br/
Kleiner
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1810
Idade : 32
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Salão Prateado - Todos   Sab Out 19, 2013 10:04 am

Aurélius não gostou nada das palavras do Príncipe. O general não confia nele, apenas em seu Rei, e faria de tudo para depor o príncipe quando o Rei morresse.
Ao término das palavras do filho do rei, Aurélius permanece imóvel, com a cabeça baixada, reverenciando seu Rei.
Nem mesmo a aparição do estranho "mago" o fez virar o rosto.

Quando o Rei falou, o General então respondeu:
- - Como lhe disse, minha Lealdade pertence à vosso Rei.... Eu e minhas tropas iremos para Hamn

Aurélius levanta-se e ia sair do salão.
Não havia mais nada a ser dito.
Porém, aquele "mago" citou seu nome e de seu desafeto.
Parou e virou-se, mesmo depois de quase todos falarem....

- Eu o conheço, mago? Não jogue meu nome ao vento. E siga seu caminho. Dispenso truques e sucos no meio das minhas tropas...Guerra se vence com escudo e espada....não com cantigas e varinhas....


Não esperou a resposta, nem a queria.
Estava pensando quantos mandar para as cidades ao leste.
Duvidava em seu íntimo que aquele príncipe inútil tivesse mesmo pedido ajuda para os Reinos do Leste.
Pensou em mandar duas pequenas caravanas, com quatro soldados em cada...pedindo a lealdade de outros povos...

E assim saiu do salão, pensativo...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://mundorpg.forumbrasil.net
Arvedui
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1799
Idade : 104
Localização : Mundo da Lua
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Salão Prateado - Todos   Seg Out 21, 2013 8:38 am

Mais uma vez, Ceres espera até que todos falem e tomem suas atitudes. Esse era o seu modo de agir, de conduzir-se. A entrada do mago não o surpreendeu, mas sim as palavras proferidas pelo arcano. O homem falava como se detivesse a verdade em suas mãos, e a arrogância daquelas palavras fez o sangue subir à cabeça do general sanguinário. Sua mão automaticamente buscou o punho da espada, num gesto automático, mas não ousaria sacá-la na presença do príncipe e do rei.

Grande parte das palavras do mago entraram por um ouvido e saíram pelo outros: eram pura baboseira. Mas nem tudo Ceres pode deixar passar despercebido.

- Meu bom mago, eu lhe peço que guarde sua vã sabedoria para a missão que o rei lhe designou. Faça o melhor que puder para garantir a segurança do reino, mas reveja sua postura antes de dirigir-se a mim. Você só pode aprender seus truques de mágica em paz graças ao sangue de meus homens, que têm mantido seguras as fronteiras do reino, juntamente com os demais generais de guerra que aqui estão.


Sua expressão endureceu, suas palavras eram ferinas, rudes, carregadas de um ódio mortal, claramente disposto a estripar aquele mago quando tivesse oportunidade. Contudo, manteve a postura, respirou fundo e largou o cabo da espada. Por fim, observou Aurélius deixar o local. Apesar das desavenças e do desejo de um dia subjugar aquele general a sua vontade, Ceres o respeitava como líder.

Após a saída de Aurélius, voltou a falar, dessa vez com o rei:

- Para mim sobrou Cuervo, é para lá que vou. - disse laconicamente.

________________________________________________
Devagar e sempre...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Goran Pandev
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 973
Idade : 31
Data de inscrição : 23/07/2008

MensagemAssunto: Re: Salão Prateado - Todos   Seg Out 21, 2013 10:31 am

O clima estava pesado após as palavras do mago, porém seria natural que todos ficassem assim momentos antes de uma grande guerra iniciar. Porém o rei mantinha sua postura firme e ereta, ele é líder nato que sabe conduzir seu povo.

Antes que todos pudessem sair do recinto voltou a falar:

- Não será preciso enviar ninguém atrás desse sujeito. Já tomei algumas providências e logo entrarei em contato com os senhores.

- Preparem um substituto para suas tropas, pois em um determinado momento irei solicitar que vocês façam um trabalho juntos, pois são meus melhores soldados e só poderei confiar em vocês.

- Façam um bom trabalho.


E assim ele se despediu dos seus generais.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Kleiner
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 1810
Idade : 32
Data de inscrição : 13/07/2008

MensagemAssunto: Re: Salão Prateado - Todos   Seg Out 21, 2013 9:50 pm

- Medo de seguir à Hamnn, Ceres?
- Não quero que morra antes de nos "entendemos"

________________________________________________

WhatsApp 41 9886 1050
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://mundorpg.forumbrasil.net
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Salão Prateado - Todos   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Salão Prateado - Todos
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [MBR & MBAC] Melhores Combo-Vídeos Com Todos Chars
» Todos os aeroportos do Mundo
» Comunidade PlayFire escolhe os 100 melhores jogos de todos os tempos
» Governantes reclamam que salário de R$19 mil é pouco.
» Veja todos os procedimentos de um MD-11

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Mundo RPG :: Arquivo Morto :: JOGOS :: A Irmandade da Guerra :: Área ON - Jogo-
Ir para: